Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bolsas | Ensino Superior - Portugal

Blogue desenvolvido e coordenado, a titulo voluntário e gratuito, por um Técnico Superior de Educação/Ação Social Escolar.

Bolsas | Ensino Superior - Portugal

Blogue desenvolvido e coordenado, a titulo voluntário e gratuito, por um Técnico Superior de Educação/Ação Social Escolar.

Filhos de emigrantes: Tudo que precisas saber para estudar em Portugal

Aqui podes aceder à informação simplificada. Dá uma vista de olhos sobre as perguntas frequentes.

MUITO IMPORTANTE!!!  Os estudantes que realizaram o ensino secundário no estrangeiro podem requerer a substituição das provas de ingresso por exames finais de disciplinas terminais do ensino secundário estrangeiro (Artigo 20°-A do Decreto-Lei n.º 296-A/98). Aconselha-se que solicitem o conteúdo programático das disciplinas que vão utilizar como provas de ingresso (ver mais informação aqui)

Ensino Superior e Bolsas de Estudo Portugal

 

Informa-te sobre o contingente especial para filhos de emigrantes, através do qual podes aceder a 7% das vagas de todos os cursos portugueses. Mas presta atenção que os estudantes que pretendam candidatar-se ao ensino superior público pelas vagas deste contingente especial, têm que realizar uma candidatura online ao concurso nacional de acesso, devendo antes fazer os exames nacionais que servirão de provas de ingresso e ter em atenção se é necessário realizar antecipadamente os pré-requisitos, sendo que são obrigatórios para alguns cursos. 

 

Vê mais em baixo a informação sobre o calendário de realização dos exames nacionais que se realizam entre maio e junho e servem de provas de ingresso para os cursos superiores. Informa-te ainda sobre os pré-requisitos e outros requisitos de acesso ao ensino superior em Portugal, sendo que alguns cursos exigem a realização de pré-requisitos. 

 

MUITO IMPORTANTE!!! 

Não guardes para a última da hora a recolha da informação sobre os cursos para os quais pretendes concorrer. Verifica se exigem a realização de pré-requisitos, normalmente realizados entre entre fevereiro e março, sendo que todos os estudantes têm de cumprir com os requisitos necessários para aceder aos respetivos cursos, seja no público como no privado.

Os pré-requisitos e exames nacionais são realizados mediante este calendário que é publicitado todos os anos. Podes ainda baixar o calendário do concurso nacional de acesso ao ensino superior público.

 

Relativamente às Universidades Privadas,  cada uma tem os seus calendários e procedimentos,  mas todos os estudantes têm de traduzir e reconhecer o certificado do 12.° ano e ter realizado o exame nacional / provas de ingresso e pré-requisitos que são exigidos para cada curso. Mais em baixo pode ser pesquisado cada curso e lá contém a informação sobre as provas de ingresso e/ou pré-requisitos que cada um exige.

 

Baixa aqui aplicação móvel (APP) para te manteres sempre informado:

iPhone - iOS: Loja iTunes
Android: Google Play Store
 

Ensino Superior e Bolsas de Estudo Universidades Portugal 

1° Escolhe a Universidade por  distrito de preferência, por ensino público ou privado e pesquisa sobre os cursos que preferes (podes candidatar-te até 6 opções / cursos / universidades / institutos públicos.

2° Nas Universidades Privadas podes candidatar-te  a todos os cursos para os quais reúnas os pré-requisitos e as provas de ingresso. 

Deves prestar atenção às médias, aos pré-requisitos e às provas de ingresso que tens de fazer antes para poderes concorrer e ingressar. Ao pesquisares sobre cada uma das universidades / curso, irás descobrir se exigem pré-requisitos e que exames / provas de ingresso precisas de fazer para poder concorrer.

Faz a tua pesquisa por:

 

3° Os Exames do ensino secundário que servem de prova de ingresso são realizados nas escolas secundárias, ainda antes de terminar o ano letivo (maio ou junho).

Guia Geral de Exames / Provas de Ingresso

 

4° Depois de terminares o ensino secundário num dos países da Europa ou noutros países estrangeiros, deves fazer o seguinte:

a) Traduzir o certificado de habilitações num tradutor oficial reconhecido por Portugal. Se realizaste algum exame estrangeiro que pretendes utilizar como prova de ingresso, deves igualmente validar e traduzir o conteúdo programático desse exame.

O que é um tradutor oficial?

Onde encontrar um tradutor oficial?

Reconhecimento de documentos.

Informe-te junto da DGES e das Embaixadas ou Consulados.

CUIDADO!!! Não te deixes enganar por agências não reconhecidas. Informa-te sobre os serviços e tradutores reconhecidos.

 

5° Depois de teres os documentos traduzidos e reconhecidos, deve requerer as respetivas equivalências.

Como obter a equivalência ao 12.° ano de escolaridade? Dirige-te a uma escola secundária com o certificado estrangeiro já traduzido e reconhecido com a Apostila de Haia e requer a equivalência. 

Consulta ainda a informação sobre o Concurso Especial para estudantes internacionais

 

6° Para tratares da equivalência ao 12.° ano, algumas escolas secundárias exigem que sejas tu próprio a tratar do requerimento e depois do levantamento da equivalência. Deves ter contigo o teu Cartão de Identidade.

 

7° Para tratares da documentação em Portugal podes nomear um familiar ou amigo que seja teu procurador, mas para isso deves dirigir-te à Embaixada ou Consulado e emitir uma procuração em nome dessa pessoa e com indicação específica para esse efeito.

 

8° Informa-te junto da DGES, das Escolas Secundárias e das Universidades a que pretendes concorrer se podes tratar do processo pela internet. No entanto, posteriormente, deves mostrar os originais a essas instituições. 

》》Calendário das Universidades/Institutos Públicos

》》Universidades e Institutos Privados

Equivalência de estudos

em Portugal

Flag_of_Portugal

Equivalência/ continuação de estudos em Portugal
Services d’Apostille em França
Lista de tradutores ajuramentados em França
Calendário escolar português
Acesso ao ensino superior
Contingente especial para candidatos emigrantes portugueses ao ensino superior
Equivalência/ Reconhecimento dos diplomas do ensino superior

Equivalência de estudos

em França

Civil_and_Naval_Ensign_of_France_svg

Equivalência/Continuação de estudos em França
Tradutores oficiais em Portugal
Calendário escolar francês
Acesso ao ensino Superior em França
Equivalência/ Reconhecimento de diplomas

NEE - RELATÓRIOS: Necessidades Educativas Especiais e a Democratização da Educação e do Ensino Superior, rumo à Empregabilidade.

Já estão disponíveis os resultados do Inquérito às Instituições
de Ensino Superior e respetivas Unidades Orgânicas sobre necessidades educativas
especiais – 2017/18.

nee1.jpg

2018-07-02 14.26.03.png

A democratização da Educação e do Ensino Superior vai avançando. E para avançar, é necessário conhecer e trabalhar a realidade (pessoal, familiar, social e económica) de cada estudante.
JÁ SE AVANÇOU COM:
●》》 criação do Grupo de Trabalho para as Necessidades Especiais na Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (GT-NECTES) cujas recomendações integram o Plano Estratégico para as Necessidades Especiais em CTES, estando algumas das recomendações a serem já implementadas;

●》》 lançamento do Balcão IncluIES <http://www.dges.gov.pt/pt/incluies?plid=1752> no site da DGES, que passou a reunir num único sítio conteúdos sobre apoio à deficiência,

●》》 criação de uma Bolsa de
Estudo específica <https://dre.pt/application/file/a/108231627> para Frequência do Ensino Superior de Estudantes com incapacidade igual ou superior a 60 %, a qual foi atribuída a 486 estudantes num montante global superior a 660.000 euros,

●》》 alargamento do contingente especial para candidatos com deficiência física e sensorial no Concurso Nacional de Acesso (CNA), com aumento das vagas e
extensão do contingente à segunda fase do CNA:
    》》1.ª Fase do CNA – 4% de vagas para candidatos com deficiência física e sensorial,
    》》2.ª Fase do CNA – 2% de vagas para candidatos com deficiência física e sensorial.

A democratização é um processo contínuo.

 

 

De acordo com o relatório divulgado:

• 1644 alunos com necessidades educativas especiais estão inscritos em instituições
de ensino superior
• diplomaram-se em 2016/17 303 estudantes com necessidades educativas especiais em
estabelecimentos de ensino superior, 61% dos quais em licenciaturas
• 56,3% das instituições de ensino superior possuem regulamentação para alunos com
necessidades educativas especiais
• existem Serviços de Apoio em 45,5% das instituições de ensino superior e em 50,1%
das unidades orgânicas
• 98,5% das unidades orgânicas organizam transportes adaptados com regularidade para
trajetos específicos ou em situações pontuais.

O Inquérito às Instituições de Ensino Superior e respetivas Unidades Orgânicas sobre necessidades educativas especiais – 2017/18 surge no âmbito do programa Inclusão para o Conhecimento, criado pela área governativa da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior em articulação com a Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) e a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). Este programa tem como objetivos promover condições adequadas à inclusão de pessoas com necessidades especiais em termos de formação, desempenho de atividades docentes e de investigação, de participação ativa na vida académica, social, desportiva e cultural, e acesso geral ao conhecimento no contexto das Instituições de Ensino Superior e do Sistema Científico e Tecnológico Nacional. Em consonância com o compromisso do XXI Governo para com a promoção da acessibilidade dos cidadãos com necessidades especiais ao ensino superior e ao conhecimento (estudantes, docentes e não docentes e investigadores), a área governativa da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em parceria com outras áreas governativas e diversas instituições, promoveu, para além deste inquérito, um conjunto de iniciativas: ● criação do Grupo de Trabalho para as Necessidades Especiais na Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (GT-NECTES) cujas recomendações integram o Plano Estratégico para as Necessidades Especiais em CTES, estando algumas das recomendações a serem já implementadas, ● lançamento do Balcão IncluIES<http://www.dges.gov.pt/pt/incluies?plid=1752> no site da DGES, que passou a reunir num único sítio conteúdos sobre apoio à deficiência, ● criação no ano letivo 2017/2018 da Bolsa de Estudo<https://dre.pt/application/file/a/108231627> para Frequência do Ensino Superior de Estudantes com incapacidade igual ou superior a 60 %, a qual foi atribuída a 486 estudantes num montante global superior a 660.000 euros, ● alargamento do contingente especial para candidatos com deficiência física e sensorial no Concurso Nacional de Acesso 2018 (CNA), com aumento das vagas e extensão do contingente à segunda fase do CNA: 1.ª Fase do CNA – 4% de vagas para candidatos com deficiência física e sensorial, 2.ª Fase do CNA – 2% de vagas para candidatos com deficiência física e sensorial. O referido inquérito está disponível no endereço da DGEEC<http://www.dgeec.mec.pt/np4/938.html> e seguem em anexo a nota da DGEEC relativa ao inquérito e as tabelas com os resultados. Abaixo seguem os links mais diretos para a informação disponibilizada no Balcão IncluIES que agradecemos partilhem com todos os potenciais interessados. 1. Contactos dos Gabinetes de apoio à pessoa com deficiência no ensino superior das IES http://www.dges.gov.pt/pt/pagina/gabinetes-de-apoio-pessoa-com-deficiencia-no-ensino-superior?plid=1752 2. Informação sobre as IES e UOs http://www.dges.gov.pt/pt/pagina/informacao-sobre-ies?plid=1752 A informação disponibilizada no Balcão IncluIES está a ser partilhada com as escolas do ensino secundário e a ser-lhes pedido que comuniquem às IES que há alunos candidatos para o próximo ano letivo, tendo em vista a adequação das condições de acolhimento com a maior antecedência possível.

Poderá aceder aos quadros de informação estatística aqui [XLS] [ODS]

Poderá aceder a uma breve análise dos resultados aqui [PDF]

 

Principais resultados do Inquérito às NEE no Ensino Superior – 2017/2018

A Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) apresenta os principais resultados do Inquérito às Necessidades Educativas Especiais (NEE) no Ensino Superior.

Esta nova inquirição tem por objetivo efetuar um retrato das condições particulares das Instituições de Ensino Superior (IES) e das respetivas Unidades Orgânicas (UO) no que refere ao apoio/acompanhamento às necessidades educativas especiais de alunos do ensino superior.

Poderá aceder aos quadros de informação estatística aqui [XLS] [ODS]

Poderá aceder a uma breve análise dos resultados aqui [PDF]

Principais resultados do Inquérito às NEE no Ensino Superior – 2017/2018

A Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) apresenta os principais resultados do Inquérito às Necessidades Educativas Especiais (NEE) no Ensino Superior.
Esta nova inquirição tem por objetivo efetuar um retrato das condições particulares das Instituições de Ensino Superior (IES) e das respetivas Unidades Orgânicas (UO) no que refere ao apoio/acompanhamento às necessidades educativas especiais de alunos do ensino superior com incapacidades que limitem a sua funcionalidade no contexto educativo.

O inquérito foi aplicado junto de todas as instituições de ensino superior público e privado e respetivas unidades orgânicas, com exceção das instituições de ensino superior militar e policial, e teve como referência o ano letivo 2017/18.

O inquérito está organizado em duas partes: a primeira, caraterização da Instituição do Ensino Superior e a segunda, caraterização da Unidade Orgânica. Na primeira parte do inquérito foram apuradas 112 respostas (98,2%) de um total de 114 instituições de ensino superior. Na segunda parte do inquérito foram apuradas 265 respostas (92,3%) de um total de 287 unidades orgânicas. Este total inclui as unidades orgânicas das instituições de ensino superior e as próprias instituições (85) quando não estruturadas em unidades orgânicas.

Alunos inscritos com necessidades educativas especiais

Em 2017/18, são referenciados 1644 alunos com necessidades educativas especiais inscritos em estabelecimentos de ensino superior, 91,5% no ensino público (1504) e 8,5% no ensino privado (140).

Em ambos os subsistemas, são as regiões Norte e Área Metropolitana de Lisboa que registam o maior número de alunos, respetivamente 473 e 442 no ensino público e 36 e 95 no ensino privado.

Em 2017/18, dos alunos inscritos em 2016/17 que não se diplomaram e não estão inscritos no presente ano letivo, são referenciados 231, dos quais 214 no ensino público e 17 no ensino privado.

Dos 231 alunos com necessidades educativas especiais que não se encontram inscritos em 2017/18, 57,1% (132) estavam inscritos em ciclos de estudos de licenciatura e 23,4% (54) em ciclos de estudo de mestrado integrado em 2016/17.

Diplomados com necessidades educativas especiais

Em 2016/17, são indicados 303 diplomados com necessidades educativas especiais em estabelecimentos de ensino superior, 89,4% (271) no ensino público e 10,6% (32) no ensino privado.

Dos 303 diplomados em 2016/17, 13,5% (41) diplomaram-se em cursos técnicos superiores profissionais, 60,7% (184) em ciclos de estudos de licenciatura, 13,2% (40) em ciclos de estudos de mestrado, 11,9% (36) em ciclos de estudo de mestrado integrado e 0,7% (2) em programas de doutoramento.

Regulamentação para alunos com necessidades educativas especiais

No total das instituições de ensino superior que responderam ao inquérito, 63 (56,3%) indicam que têm algum tipo de regulamentação para alunos com necessidades educativas especiais. Em 35 instituições (31,3%) existem disposições específicas em regulamento ou estatuto próprios para esses alunos.

Serviços de Apoio para alunos com necessidades educativas especiais

Em relação aos Serviços de Apoio a alunos com necessidades educativas especiais destaca-se, no presente ano letivo, e tendo como base o universo dos respondentes, o seguinte:

  • Existem Serviços de Apoio em 45,5% das instituições de ensino superior e em 50,1% das unidades orgânicas;
  • Há 184 Serviços de Apoio para alunos com necessidades educativas especiais nos estabelecimentos de ensino superior (instituições e unidades orgânicas) que dispõem de 204 funcionários em tempo integral e 171 em tempo parcial;
  • De entre os mesmos estabelecimentos, cerca de um terço dos Serviços de Apoio (34,8%) têm de 0 a 4 anos de funcionamento;
  • Existem Unidades de Produção de materiais adaptados em 18 instituições de ensino superior, representando 16,1% do total.

Acessibilidade para alunos com necessidades educativas especiais

Em 2017/18, nas questões de Acessibilidade para alunos com necessidades educativas especiais, e tendo como base as respostas obtidas, salienta-se o seguinte:

  • 58 instituições de ensino superior (51,8%) e 124 unidades orgânicas (46,8%) apresentam sítios web conformes (A, duplo A, triplo A) com as diretrizes de acessibilidade definidas
    para os sítios da administração pública;
  • 5 Instituições de ensino superior (4,5%) e 18 unidades orgânicas (6,8%) apresentam sítios web com conformidade triplo A;
  • Quer nas instituições de ensino superior, quer nas unidades orgânicas, mais de metade dos edifícios tem condições de acessibilidade para os alunos, respetivamente 63 (56,3%) e
    149 (56,2%);
  • 59 instituições de ensino superior (52,7%) e 118 unidades orgânicas (44,5%) são servidas por transportes públicos com acessibilidade para alunos com necessidades educativas
    especiais;
  • 41 instituições de ensino superior (36,6%) e 261 unidades orgânicas (98,5%) organizam transportes adaptados com regularidade para trajetos específicos ou em situações
    pontuais;
  • 13 instituições de ensino superior (11,6%) têm infraestruturas desportivas adaptadas aos alunos com necessidades educativas especiais;
  • 12 instituições de ensino superior (10,7%) e 22 unidades orgânicas (8,3%) oferecem diversas modalidades desportivas adequadas a alunos com necessidades educativas especiais como, por exemplo, andebol, atletismo adaptado, basquetebol, boccia, futsal ou voleibol.

Oferta formativa

Em 54 unidades orgânicas (20,4%) existe oferta formativa no domínio da inclusão da diversidade e do desenho universal, quer em unidades curriculares, quer em programas estruturados de licenciatura, mestrado e doutoramento e ainda em cursos técnicos superiores profissionais.

Em 79 unidades orgânicas (29,8%) é desenvolvida investigação na área da deficiência ou no domínio da inclusão da diversidade através de unidades ou de linhas de investigação.

Glossário / Conceitos

Serviços de apoio
Serviços ou pessoas responsáveis pelo acolhimento e acompanhamento de alunos com necessidades educativas especiais que têm como competências, entre outras, proceder ao levantamento de necessidades relativas a esses alunos, encontrar soluções para os problemas identificados e para os apoios solicitados, facilitar a comunicação entre alunos, docentes, serviços e a direção de cada estabelecimento, cooperar com iniciativas que contribuam para a melhoria das condições de vivência académica, social, desportiva e cultural desses alunos e assegurar a disponibilização de produtos de apoio adaptados necessários à boa concretização do processo ensino aprendizagem. ^
Serviços de produção
Serviços criados para dar resposta às necessidades especiais da comunidade académica, sobretudo estudantes mas também professores, que solicitam a adaptação de informação impressa para formatos mais flexíveis e acessíveis: formato digital (rtf ou pdf acessível que inclui descrição de material gráfico) assim como exemplares em braille ou ampliados.